Sábado, 24 de Março de 2007

(129) Aparece

Aparece


Onde é que tu estás?
Porque é que não apareces
Só queria que pudesses conhecer-me, mas não me conheces
Só queria que me aliviasses este sofrimento
Tenho sempre a sensação que não aguento isto nem mais por um momento
Não aguento isto dentro de mim
Agarra-te a mim, ou põe-me um fim

Não te escondas mais por favor
Tira-me deste círculo em que nada é animador
Salva-me disto
Tira-me este quisto

Dá um rumo à minha vida
Faz dela a minha história preferida
Dá-lhe um sentido
Diz-me que sim ao ouvido

Imploro para me preencheres este vazio do meu lado esquerdo
Quero deixar de ter medo
Tremo só de pensar que esta solidão pode ser vitalícia
Estou com dificuldade em acreditar que a felicidade não é fictícia

Liberta-me disto, ou então eu desisto
Tenho força, mas a tanto não resisto
Traz-me o meu sorriso de volta...
Por favor aparece antes que todo o meu amor se transforme em revolta...


Abel Ferreira

publicado por poesiaemrede às 18:01
link | comentar | favorito
17 comentários:
De erika a 4 de Janeiro de 2014
Gotei muito nao facas cao ao que os outros dizem ta muita fixe adorei a pesoas que saben ver o que o poema dis beijo continua
De cardoso vicente calavete a 10 de Junho de 2013
O verso e fish gostei muito
De Ediléia a 31 de Outubro de 2008
Adorei!!!!!!!!É SIMPLESMENTE TUDO O QUE ESTOU VIVENDO!!!!!!!Doí + quem foi que disse que amor não doi!!!!!
De Pedro Leitão a 15 de Abril de 2007
tira-me disto, e rimar com quisto? poema á escola primária :S

não gostei nem um bocadinho... rima fácil, ideias gastas...
De Descontente a 19 de Abril de 2007
Ó Leitão, vê lá se cresces para deixar de fazer comentários desagradáveis.
De S a 26 de Março de 2007
www.edificilencontrarumenderecovalido.blogspot.com
De celiarte a 26 de Março de 2007
lindo, lindo, lindo....

Como me revi nessas palavras

Comentar post

. Índice dos Poemas de Amor

.Poemas a Concurso

. Publicação Final

. (152) Cinzas

. (151) Sentei-me à beira-m...

. (150) Caí na desgraça

. (149) O amor é o fim

. (148) Um Mundo de Sonho/U...

. (147) O tempo

. (146) Não foi à primeira

. (145) Amor

. (144) Deixa o sol saber e...

. (143) Do Amor

. (142) História de vida (A...

. (141) Te quero...

. (140) Infinito

. (139) Sonhar é viver...

. (138) Momento de Amar

. (137) Amar com seis senti...

. (136) "Sem título"

. (135) Poema Tropical

. (134) O que sinto : é amo...

. (133) Play

. (132) Continua*

. (131) Tu és...

. (130) Amor de Noite e Dia

. (129) Aparece

. (128) Graças a ti...

. (127) Je T' Aime

. (126) Amanhecendo em ti

. (125) Sentimento do Amor

. (124) Querer Bem

. (123) Magia transparente

. (122) Margens de mim

. (121) Sou... Ser...

. (120) Hoje olho-te

. (119) Moras num livro

. (118) Pra que nome?

. (117) Solidão

. (116) "Triefe"

. (115) Partiste, sem satis...

. (114) União

. (113) Ode Única

. (112) Lá na esquina da ca...

. (111) Amor

. (110) Sinto...

. (109) Paixão Proibida!

. (108) Momento

. (107) Os olhos do meu amo...

. (106) Quero cada uma das ...

. (105) Tempo

. (104) O que é o amor?...

.Mais Poemas

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Limitações na base dos Blogs SAPO não nos permitem publicar, conforme prevíamos, um link directo para os primeiros poemas. Aos visados as nossas desculpas.

.links

.Poesia em Rede


. Poesia em Rede

. seguir perfil

. 19 seguidores

blogs SAPO

.subscrever feeds