Sábado, 13 de Janeiro de 2007

(14) Sonheto invertido

Sonheto invertido

Sonho porque nada mais há a fazer.
Sonho porque sonhando não perco a esperança.
Sonho porque só assim posso voltar a nascer.

Dos meus sonhos se desfez uma vida.
E com ela os seus sonhos;
E os seus amores sonhados.

E tudo o mais que possa sonhar,
Nesta vida de sonho não faz criação.
Só o sonho de te ver,de te amar,
Só o sonho de grandeza,de imensidão.

Sonho para voltar a nascer,
E de novo voltar a sonhar.
E nos meus sonhos me voltar a perder,
Sonhando acordado,até um dia finar.


Jorge Romão
publicado por poesiaemrede às 02:36
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De romã a 6 de Fevereiro de 2007 às 00:40
Interessante!

De j.r a 7 de Fevereiro de 2007 às 22:28
obrigado romã...se soubesses o meu penúltimo nome...
De romã a 7 de Fevereiro de 2007 às 23:58
Saberia se me o revelasses...

"O acto poético é o empenho total do ser para a sua revelação. Este fogo de conhecimento, que é também fogo de amor, em que o poeta se exalta e consome, é a sua moral. E não há outra."

Eugénio de Andrade
De jr a 8 de Fevereiro de 2007 às 22:54
Pensei que o nome romã fosse brincadeirinha com o meu último nome...

E se a sua revelação fosse em si o fim do acto poético?
Que faria o ser com o poeta dentro?
De romã a 12 de Fevereiro de 2007 às 00:48
Jamais brincaria com o teu nome. Nele cabe todo "O AMOR".

Felicidades para o concurso!
De david_aloevera a 19 de Janeiro de 2007 às 12:46
como participo???
De Informações a 19 de Janeiro de 2007 às 12:51
Onde diz informações ou neste endereço
http://poesiaemrede.blogs.sapo.pt/
estão todas as regras. É facil participar.

Comentar post

Site_Poesia_em_Rede
. Índice dos Poemas de Amor

.Poemas a Concurso

. Publicação Final

. (152) Cinzas

. (151) Sentei-me à beira-m...

. (150) Caí na desgraça

. (149) O amor é o fim

. (148) Um Mundo de Sonho/U...

. (147) O tempo

. (146) Não foi à primeira

. (145) Amor

. (144) Deixa o sol saber e...

. (143) Do Amor

. (142) História de vida (A...

. (141) Te quero...

. (140) Infinito

. (139) Sonhar é viver...

. (138) Momento de Amar

. (137) Amar com seis senti...

. (136) "Sem título"

. (135) Poema Tropical

. (134) O que sinto : é amo...

. (133) Play

. (132) Continua*

. (131) Tu és...

. (130) Amor de Noite e Dia

. (129) Aparece

. (128) Graças a ti...

. (127) Je T' Aime

. (126) Amanhecendo em ti

. (125) Sentimento do Amor

. (124) Querer Bem

. (123) Magia transparente

. (122) Margens de mim

. (121) Sou... Ser...

. (120) Hoje olho-te

. (119) Moras num livro

. (118) Pra que nome?

. (117) Solidão

. (116) "Triefe"

. (115) Partiste, sem satis...

. (114) União

. (113) Ode Única

. (112) Lá na esquina da ca...

. (111) Amor

. (110) Sinto...

. (109) Paixão Proibida!

. (108) Momento

. (107) Os olhos do meu amo...

. (106) Quero cada uma das ...

. (105) Tempo

. (104) O que é o amor?...

.Mais Poemas

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Limitações na base dos Blogs SAPO não nos permitem publicar, conforme prevíamos, um link directo para os primeiros poemas. Aos visados as nossas desculpas.

.links

.Poesia em Rede


. Poesia em Rede

. seguir perfil

. 18 seguidores

blogs SAPO

.subscrever feeds

Cell Phones