Terça-feira, 27 de Março de 2007

(133) Play

Play


Vou tentar explicar o quanto gosto de ti
Ontem transmitiste-me tantas coisas boas quando adormeci
Não consigo imaginar a minha vida sem as tuas melodias
Agradeço-te eternamente todas as melodias
Fazes-me rir
Fazes-me destruir
Fazes-me chorar
Fazes-me cantar a dançar, enquanto te tento abraçar

Depois fazes-me parar para pensar…
É tão bom estar sozinha contigo
És mais que um amigo
Posso-te chamar nomes a provocar-te
Sei que com isto não vais dizer que estou a chatear-te
Posso-te amar, e sei que contigo posso sempre contar
Sei que vais estar sempre aí para me ouvires desabafar
És mais que um calmante
És infinitamente mais relaxante
És todos dias a minha amante
És tu que muitas vezes me fazes ver o que é realmente importante
Não consigo explicar o que sinto às vezes quando te ouço

Pões-me num estado inexplicável de alvoroço
(…)
Acompanhas-me para todo o lado
Esteja eu na rua, ou na cama deitado
És uma parte de mim
E sinto-me bem, porque sei que entre nós nunca vai haver um fim
Acredita que nunca te vou largar
Até ao fim dos meus dias, vais-me sempre acompanhar

É a ti que eu sempre vou amar
Simplesmente porque a música é algo que eu nunca hei-de deixar de gostar…

Inês

publicado por poesiaemrede às 01:08
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Carmen Bata a 29 de Julho de 2013 às 12:34
Uau...ameiih!
Muito lindo!
Bjx
De Cristina a 24 de Julho de 2012 às 23:21
Bem dito adorei
De Inês a 15 de Maio de 2012 às 22:41
Perfeito!

Comentar post

Site_Poesia_em_Rede
. Índice dos Poemas de Amor

.Poemas a Concurso

. Publicação Final

. (152) Cinzas

. (151) Sentei-me à beira-m...

. (150) Caí na desgraça

. (149) O amor é o fim

. (148) Um Mundo de Sonho/U...

. (147) O tempo

. (146) Não foi à primeira

. (145) Amor

. (144) Deixa o sol saber e...

. (143) Do Amor

. (142) História de vida (A...

. (141) Te quero...

. (140) Infinito

. (139) Sonhar é viver...

. (138) Momento de Amar

. (137) Amar com seis senti...

. (136) "Sem título"

. (135) Poema Tropical

. (134) O que sinto : é amo...

. (133) Play

. (132) Continua*

. (131) Tu és...

. (130) Amor de Noite e Dia

. (129) Aparece

. (128) Graças a ti...

. (127) Je T' Aime

. (126) Amanhecendo em ti

. (125) Sentimento do Amor

. (124) Querer Bem

. (123) Magia transparente

. (122) Margens de mim

. (121) Sou... Ser...

. (120) Hoje olho-te

. (119) Moras num livro

. (118) Pra que nome?

. (117) Solidão

. (116) "Triefe"

. (115) Partiste, sem satis...

. (114) União

. (113) Ode Única

. (112) Lá na esquina da ca...

. (111) Amor

. (110) Sinto...

. (109) Paixão Proibida!

. (108) Momento

. (107) Os olhos do meu amo...

. (106) Quero cada uma das ...

. (105) Tempo

. (104) O que é o amor?...

.Mais Poemas

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Limitações na base dos Blogs SAPO não nos permitem publicar, conforme prevíamos, um link directo para os primeiros poemas. Aos visados as nossas desculpas.

.Poesia em Rede

blogs SAPO

.subscrever feeds

Cell Phones