Sexta-feira, 16 de Março de 2007

(111) Amor

AMOR

 

Quem de nós não já amou?

Que atire a primeira pedra aquele que nunca suspirou por alguém.

Amor bandido, louco, indecente....

Amor casto, recatado ou inocente.

 

Que diferença isso faz?

Ser feliz é o que importa.

Amor não se apreende, apenas se sente.

Aquece a alma, preenche o coração da gente.

 

O que seria, então, o amor?

É o que todos, aqui, pretendem expor.

Pra mim, é a unidade na diferença.

O se fazer presente na ausência.

 

Pra você, pode ser renúncia, abstração.

Desejo, companheirismo ou até mesmo castração.

Teria mesmo o amor uma definição?

Creio que jamais chegaremos a uma resolução!

 

Amor é isso....

Algo transcendental, mágico, original.

E eterno ou não...

Será sempre vivido de forma individual!

 

MARIA CÉSAR GALDINO

publicado por poesiaemrede às 15:53
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Priscilla Garcia a 2 de Fevereiro de 2009 às 15:49
Soneto do Amor

Este infinito amor de um ano faz
Que é maior do que o tempo e do que tudo
Este amor que é real e que contudo
Eu já não cria que existisse mais.

Este amor que surgiu insuspeitado
E que dentro do drama fez-se em paz
Este amor que é túmulo onde jaz
Meu corpo para sempre sepultado.

Este amor meu é como um rio; um rio
Noturno, interminável e tardio
A deslizar macio pelo ermo...

E que em seu curso sideral me leva
Iluminado de paixão na treva
Para o espaço sem fim de um mar sem termo.


Autor: (Vinícius de Moraes)

Foi retirado pelo site:

http://www.ziipi.com/result?pesquisa=poesia+de+amor
(http://www.ziipi.com/result?pesquisa=poesia+de+amor)
De Mayara a 12 de Setembro de 2008 às 21:08
ese poema é profundo ele eu gostei muito
me fez lembra do meu amor!!!

Comentar post

Site_Poesia_em_Rede
. Índice dos Poemas de Amor

.Poemas a Concurso

. Publicação Final

. (152) Cinzas

. (151) Sentei-me à beira-m...

. (150) Caí na desgraça

. (149) O amor é o fim

. (148) Um Mundo de Sonho/U...

. (147) O tempo

. (146) Não foi à primeira

. (145) Amor

. (144) Deixa o sol saber e...

. (143) Do Amor

. (142) História de vida (A...

. (141) Te quero...

. (140) Infinito

. (139) Sonhar é viver...

. (138) Momento de Amar

. (137) Amar com seis senti...

. (136) "Sem título"

. (135) Poema Tropical

. (134) O que sinto : é amo...

. (133) Play

. (132) Continua*

. (131) Tu és...

. (130) Amor de Noite e Dia

. (129) Aparece

. (128) Graças a ti...

. (127) Je T' Aime

. (126) Amanhecendo em ti

. (125) Sentimento do Amor

. (124) Querer Bem

. (123) Magia transparente

. (122) Margens de mim

. (121) Sou... Ser...

. (120) Hoje olho-te

. (119) Moras num livro

. (118) Pra que nome?

. (117) Solidão

. (116) "Triefe"

. (115) Partiste, sem satis...

. (114) União

. (113) Ode Única

. (112) Lá na esquina da ca...

. (111) Amor

. (110) Sinto...

. (109) Paixão Proibida!

. (108) Momento

. (107) Os olhos do meu amo...

. (106) Quero cada uma das ...

. (105) Tempo

. (104) O que é o amor?...

.Mais Poemas

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Limitações na base dos Blogs SAPO não nos permitem publicar, conforme prevíamos, um link directo para os primeiros poemas. Aos visados as nossas desculpas.

.Poesia em Rede

blogs SAPO

.subscrever feeds

Cell Phones