Quinta-feira, 15 de Março de 2007

(108) Momento

Momento

Será a vida a raiz de todos os problemas
Sobre os quais não tenho controlo?
 Ou a morte que amedronta os meus esquemas
E me faz ser apenas mais um tolo?
 
Tentando não pensar no que sonho, desejo tão anti-natural
Mas continuando no entanto a querer sentir
O que só a imaginação torna real…
 
Fazendo-me esperar pelo que não há-de vir…
 
A mente, esse complexo auto-sustentável
Que nem a fantasia afecta
Puro nexo, sentido algo saudável
Do que a vida acarreta
 
Que atrapalha os sentimentos, não nos deixa ser quem somos
A falha dos pensamentos, que só nos lembra o que fomos
 
A diferença que um momento  faz, quando na incerteza nos perdemos...
A tristeza que isso nos traz e o que nela sofremos!
 
Quando ninguém compreende a nossa linguagem
E de nós só fica a imagem…
 
Frustração na cara latente,
De pessoa que a si mesma mente,
Tentando adaptar-se à realidade envolvente...
Tão triste! Pessoa que pensa mas não sente!
 
Marcos Almeida
publicado por poesiaemrede às 19:35
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De maria jose reliquias a 24 de Setembro de 2010 às 16:47
Sinto-te quando nao estas!
Hum...Como desejo ver-te.
Desejo-te, cada dia mais.
Imagino-te aqui,
Comtemplo teu rosto
Te vejo sorrindo,
Com um olhar doce e sereno
Aqui, nesta solidao onde me encontro,
queria trespassar o tempo...
Deixar a imaginaçao floir.
O pensamento leva-me onde o desejo quer chegar.
Chego a sentir-te, pois e isso que quero.
Pressinto quando te chegas a mim e me tocas.
Ate o teu cheiro me envolver e me embriagar.
O calor do teu corpo, tao perto...
Oh...como e doce este momento,tao real,tao verdadeiro.
Sinto-te mesmo aqui. Os teus labios procuram os meus, com tanta delicadeza, que me deixo levar ao
ponto de explodir de desejo.
Pois entre a imaginaçao e a realidade tudo se
torna confuso,
E penso ter vivido este delicioso momento.

MARIA JOSE RELIQUIAS

Comentar post

Site_Poesia_em_Rede
. Índice dos Poemas de Amor

.Poemas a Concurso

. Publicação Final

. (152) Cinzas

. (151) Sentei-me à beira-m...

. (150) Caí na desgraça

. (149) O amor é o fim

. (148) Um Mundo de Sonho/U...

. (147) O tempo

. (146) Não foi à primeira

. (145) Amor

. (144) Deixa o sol saber e...

. (143) Do Amor

. (142) História de vida (A...

. (141) Te quero...

. (140) Infinito

. (139) Sonhar é viver...

. (138) Momento de Amar

. (137) Amar com seis senti...

. (136) "Sem título"

. (135) Poema Tropical

. (134) O que sinto : é amo...

. (133) Play

. (132) Continua*

. (131) Tu és...

. (130) Amor de Noite e Dia

. (129) Aparece

. (128) Graças a ti...

. (127) Je T' Aime

. (126) Amanhecendo em ti

. (125) Sentimento do Amor

. (124) Querer Bem

. (123) Magia transparente

. (122) Margens de mim

. (121) Sou... Ser...

. (120) Hoje olho-te

. (119) Moras num livro

. (118) Pra que nome?

. (117) Solidão

. (116) "Triefe"

. (115) Partiste, sem satis...

. (114) União

. (113) Ode Única

. (112) Lá na esquina da ca...

. (111) Amor

. (110) Sinto...

. (109) Paixão Proibida!

. (108) Momento

. (107) Os olhos do meu amo...

. (106) Quero cada uma das ...

. (105) Tempo

. (104) O que é o amor?...

.Mais Poemas

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Limitações na base dos Blogs SAPO não nos permitem publicar, conforme prevíamos, um link directo para os primeiros poemas. Aos visados as nossas desculpas.

.Poesia em Rede

blogs SAPO

.subscrever feeds

Cell Phones