Quinta-feira, 15 de Março de 2007

(106) Quero cada uma das palavras que nunca me disseste...

Quero cada uma das palavras que nunca me disseste…
Quero os sorrisos fugazes que delineaste, sem os entregares…
Quero o mel da tua boca. O néctar dos teus lábios.
Quero um beijo prateado, cheio de estrelas e sonhos…
Quero adormecer na loucura dos teus olhos.
Quero navegar no teu corpo, e perder-me, eternamente, nesse teu infinito oceano de calor…
Quero escutar a tua voz na escuridão do silêncio.
Quero abrir as portas do teu coração, e explorar todos os tesouros que possuis…
Quero descobrir os códigos secretos da tua alma.
Quero beber do teu sangue.
Partilhar o mesmo cálice. A mesma cama. A mesma vida. O mesmo desejo ensurdecedor…
Quero gritar-te ao ouvido a palavra “amo-te”, e tatuar no teu corpo a textura da minha alma…
Quero viver num sonho aberto e colorido. Coroar-te princesa. E rainha.
E oferecer-te todas as pedras preciosas do mundo.
Quero conduzir-te até ao esplendor dos sentimentos,
E respirar da tua boca o brilho dos teus beijos…
 
João Costa
publicado por poesiaemrede às 16:38
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Pedro Leitão a 14 de Maio de 2007 às 17:23
gosto.
De Sophia Santos a 20 de Março de 2007 às 18:56
Devo-lhe dizer que encontrei na poesia uma forma de desabafo, como se de minha confidente se tratasse. Passo para o papel tudo o que sinto, igual a uma história onde o fim fica sempre em aberto para um dia... Voltar a escrever! Foi por esse motivo que ao ler o seu poema senti cada palavra... E o apreciei bastante! Eu posso estar longe de ter talento mas de uma coisa tenho a certeza...Escrevo com sentimento!
Com os melhores cumprimentos,
Sophia
De Sophia Santos a 19 de Março de 2007 às 20:50
Obrigada pelo comentário e pela força!
Isto pode parecer um pouco forçado mas adorei o poema! Confesso que ainda não tinha dado uma vista de olhos mas está mesmo muito forte. Pessoalmente adorei! Parabéns!
Sophia

Comentar post

Site_Poesia_em_Rede
. Índice dos Poemas de Amor

.Poemas a Concurso

. Publicação Final

. (152) Cinzas

. (151) Sentei-me à beira-m...

. (150) Caí na desgraça

. (149) O amor é o fim

. (148) Um Mundo de Sonho/U...

. (147) O tempo

. (146) Não foi à primeira

. (145) Amor

. (144) Deixa o sol saber e...

. (143) Do Amor

. (142) História de vida (A...

. (141) Te quero...

. (140) Infinito

. (139) Sonhar é viver...

. (138) Momento de Amar

. (137) Amar com seis senti...

. (136) "Sem título"

. (135) Poema Tropical

. (134) O que sinto : é amo...

. (133) Play

. (132) Continua*

. (131) Tu és...

. (130) Amor de Noite e Dia

. (129) Aparece

. (128) Graças a ti...

. (127) Je T' Aime

. (126) Amanhecendo em ti

. (125) Sentimento do Amor

. (124) Querer Bem

. (123) Magia transparente

. (122) Margens de mim

. (121) Sou... Ser...

. (120) Hoje olho-te

. (119) Moras num livro

. (118) Pra que nome?

. (117) Solidão

. (116) "Triefe"

. (115) Partiste, sem satis...

. (114) União

. (113) Ode Única

. (112) Lá na esquina da ca...

. (111) Amor

. (110) Sinto...

. (109) Paixão Proibida!

. (108) Momento

. (107) Os olhos do meu amo...

. (106) Quero cada uma das ...

. (105) Tempo

. (104) O que é o amor?...

.Mais Poemas

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Limitações na base dos Blogs SAPO não nos permitem publicar, conforme prevíamos, um link directo para os primeiros poemas. Aos visados as nossas desculpas.

.links

.Poesia em Rede


. Poesia em Rede

. seguir perfil

. 18 seguidores

blogs SAPO

.subscrever feeds

Cell Phones