Quinta-feira, 15 de Março de 2007

(105) Tempo

 

Tempo,

Tempo que não pára no tempo,

Eu,

Eu que não paro no tempo,

Tempo e eu,

Tempo e eu que não paramos no tempo,

Eu e o tempo,

Eu e o tempo que não paramos no tempo.

 

Tempo,

Tempo é assim,

Não para,

Só por meros segundos o tempo parece parar,

Segundos,

Segundos esses quando estou contigo,

Contigo,

Contigo o tempo pára.

 

Assim,

Assim devíamos estar sempre,

Juntos,

Juntos já que assim o tempo pára,

Para nós,

Pára nós o tempo pára.

 

Será,

Será que assim viveríamos eternamente,

Talvez,

Talvez juntos o tempo pare no tempo.

 

Autor: Luís Barros

publicado por poesiaemrede às 16:35
link do post | comentar | favorito
|
Site_Poesia_em_Rede
. Índice dos Poemas de Amor

.Poemas a Concurso

. Publicação Final

. (152) Cinzas

. (151) Sentei-me à beira-m...

. (150) Caí na desgraça

. (149) O amor é o fim

. (148) Um Mundo de Sonho/U...

. (147) O tempo

. (146) Não foi à primeira

. (145) Amor

. (144) Deixa o sol saber e...

. (143) Do Amor

. (142) História de vida (A...

. (141) Te quero...

. (140) Infinito

. (139) Sonhar é viver...

. (138) Momento de Amar

. (137) Amar com seis senti...

. (136) "Sem título"

. (135) Poema Tropical

. (134) O que sinto : é amo...

. (133) Play

. (132) Continua*

. (131) Tu és...

. (130) Amor de Noite e Dia

. (129) Aparece

. (128) Graças a ti...

. (127) Je T' Aime

. (126) Amanhecendo em ti

. (125) Sentimento do Amor

. (124) Querer Bem

. (123) Magia transparente

. (122) Margens de mim

. (121) Sou... Ser...

. (120) Hoje olho-te

. (119) Moras num livro

. (118) Pra que nome?

. (117) Solidão

. (116) "Triefe"

. (115) Partiste, sem satis...

. (114) União

. (113) Ode Única

. (112) Lá na esquina da ca...

. (111) Amor

. (110) Sinto...

. (109) Paixão Proibida!

. (108) Momento

. (107) Os olhos do meu amo...

. (106) Quero cada uma das ...

. (105) Tempo

. (104) O que é o amor?...

.Mais Poemas

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Limitações na base dos Blogs SAPO não nos permitem publicar, conforme prevíamos, um link directo para os primeiros poemas. Aos visados as nossas desculpas.

.Poesia em Rede

blogs SAPO

.subscrever feeds

Cell Phones